* Não nessa ordem.

Para ler ouvindo: Sunlunger – Anothe day on the Terrace (Intro Club Mix)

No final do ano passado, eu perdi meu pai pro câncer. Até então eu nunca tinha sentido uma dor tão forte e devastadora, mas me mantive no controle da situação e ciente de que dias ruins eventualmente viriam e eu teria que contorna-los com extrema astúcia. E foi o que me mantive fazendo nesses 6 últimos meses. Porra, fazem 6 meses já.

No meio do processo, eu criei um site para abrir espaço para que as pessoas conversassem sobre câncer. Sem egos, sem querer salvar o mundo, queria apenas preencher uma lacuna que eu mesmo senti enquanto procurava pessoas para conversar sobre os sintomas do câncer, sobre os cuidados e, principalmente, sobre como lidar com aquela explosão de sentimentos. Era um lugar para encontrar e conversar com pessoas que entenderiam você, por passar por situações parecidas.

Nasceu o Se Precisar Conversar.

Nunca quis nomes lá. Nunca quis usar a causa como bandeira para mostrar o quão engajado eu sou, o quão querido eu sou por me preocupar com o próximo ou nada assim. De fato, os nomes que estão lá – com exceção de uma lista no final da página, creditando cada esforço envolvido – são apenas os das pessoas que precisam conversar. Ou era pra ser isso.

Por conta de não querer envolver ninguém que não estivesse com a mesma vibe que eu, no começo eu fui tocando sozinho. As coisas cresceram, eu comecei a não conseguir mais tocar sozinho e algumas ideias surgiram no caminho. Até uns dias atrás, quando eu me arrependi de querer fazer ele ser maior do que era pra ser e criei uma campanha de páscoa. Óbvio, o sucesso da campanha pôde ser medido com crianças sorrindo ao ganharem visitas e ovos de páscoa, e quanto a isso o acerto foi tremendo. Mas ver as pessoas usando a minha causa simples e honesta para se gabarem por aí me doeu. Me doeu a ponto de eu quase desanimar com o site. Mas não, vou fazer melhor, vou focar ele no que era pra ser, um lugar pra conversar. E vou vê-lo crescer organicamente, na medida que forem surgindo novos nomes para aquela lista. É a decisão que eu tomei hoje. E farei com a ajuda de quem eu realmente entender a causa do mesmo jeito que eu, pois é assim que vai ser de hoje em diante.

Me ajude divulgando o endereço dele para quem precisar – http://www.seprecisarconversar.com.br

E do meu lado, somente uma novidade. Além de estar mais forte e pronto pra ajudar de fato quem precisa conversar, eu resolvi que era hora de ter comigo uma lembrança eterna do meu maior herói de todos os tempos.

Tatuagem

Meu pai foi mãe por muitos anos, criando 3 filhos sozinho. Todos crescemos, aprendemos coisas, seguimos adiante com nossas vidas e estamos aí, prontos para o mundo. Uma Kunoichi tradicional assim deve simbolizar bem essa pequena história, com 3 pétalas de flor de cerejeira para representar o zelo que ele teve conosco. Foi a melhor imagem que consegui pensar e acho que ficou bem interessante. Valeu, Tico! (Think Tattoo, vou por o site/contato assim que os tiver em mãos)

Agora ele está comigo e eu estou mais forte, então podem se preparar. Minha cabeça andou meio em parafuso nos últimos meses, mas ele vai me ajudar com isso e colocá-la para pensar direitinho de hoje em diante. E devagar ajudaremos todos aqueles que precisarem conversar, essa é a minha causa de hoje em diante. E a sua, qual será?

Related Posts with Thumbnails
Se gostou compartilhe!

Postagem feita no dia 3 de maio de 2012 às 23:49 e arquivada na(s) categoria(s) Divagação. Você pode acompanhar os comentários usando RSS 2.0 .
Você pode deixar um comentário ou um trackback do seu site/blog.



Opa, ja temos 1 para “Uma tatuagem, uma música e um site sobre câncer”

  1. Liliana on maio 5th, 2012 at 9:26

    <3 Conte comigo

Algo a dizer?

1. Diga o que quiser, você é totalmente responsável pelos seus comentários;
2. Não ofenda as pessoas, não use palavras de baixo calão;
3. Não seja desagradável;
4. Tenha em mente que o conteúdo desse blog é humorístico e/ou irreal;
5. Assim que sair, dê um sorriso;