Existe um preço a pagar quando exigem que você seja racional ao invés de sentimental. Você quer que as coisas se fodam sem sentir nenhum remorso. É o que está rolando atualmente e eu realmente queria conseguir não me importar, mas ainda falta um pouco pra eu atingir tal grau de “foco no projeto”.

Mas… vamos nos dedicar ao que nos traz benefícios, certo? É o novo projeto. Sempre que você puder usar como desculpa o fato de que está se dedicando integralmente a algo que depende única e exclusivamente de você, faça isso. As pessoas terão que entender, eventualmente, deixar todo o seus sentimentos de lado e ser racionais. É o que você precisa que aconteça, é o que terão que mostrar a você, querendo ou não.

E sempre que agir dessa forma for pior pra você, mande um foda-se sem medo. (e nem precisa ser um anunciado)

A vida continua, novos projetos estarão na sua mesa na próxima segunda-feira e você não precisa se manter numa situação em que não esteja contente. Faça as coisas pelos outros, sempre que possível, mas não faça nada que vá contra o que você sente. Ou vá, se você tiver tamanha frieza e disciplina.

Vamos curtir agora 3 dias offline (!) nesse carnaval e voltamos as reflexões na próxima quinta-feira. Ou antes, provavelmente, já que minha mente é essa máquina incrível que não consegue ser desligada sob nenhuma hipótese. E eu não consigo deixar de me importar, logo estarei nessa até o momento em que eu finalmente entender que eu não preciso mais. Ou não quero mais. Ou não me importo mais.

Ou não!

Related Posts with Thumbnails
Se gostou compartilhe!

Postagem feita no dia 19 de fevereiro de 2012 às 12:12 e arquivada na(s) categoria(s) Som na caixa. Você pode acompanhar os comentários usando RSS 2.0 .
Você pode deixar um comentário ou um trackback do seu site/blog.



Algo a dizer?

1. Diga o que quiser, você é totalmente responsável pelos seus comentários;
2. Não ofenda as pessoas, não use palavras de baixo calão;
3. Não seja desagradável;
4. Tenha em mente que o conteúdo desse blog é humorístico e/ou irreal;
5. Assim que sair, dê um sorriso;