Um dos lados bacanas de ter um blog é poder repercutir idéias. Você não precisa copiar na íntegra um post legal que tenha visto por ai, você pode convidar o seu leitor a consumir direto da fonte a informação. Outra coisa legal dos blogs é poder, além de repercutir, somar as suas próprias idéias a uma idéia inicial. Vou aproveitar para fazer o desabafo necessário, de repente surta até algum efeito por aqui. 

Peguemos aqui uma parte de um texto postado no Blog de Guerrilha, para ilustrar o primeiro ponto:

Aqui na agência cobramos para trabalhar. É óbvio? Nem tanto. Ainda existe cliente que exclama: o quê!? eu tenho que pagar para vocês desenvolverem um plano de guerrilha para o meu briefing?

Eu já vi e ouvi gente reclamando do retorno dos blogs. Monetização é importante para essas pessoas, é uma grande motivação, é um fator de empolgação para escrever. Afinal de contas, se você levou tempo, se dedicou e hoje tem um blog com uma média legal de visitas e comentários, porque não pode faturar em cima disso? Porque um post pago virou um tabu tão grande entre algumas pessoas? É feio você usar sua inteligência para ganhar dinheiro de alguma forma? Eu acho que não. 

Façamos um pouso agora no Papo de Homem, do brother Guilherme, pra ver uma passagem legal dali também:

A nossa postura clara em relação a artigos patrocinados é:
1. Entregar conteúdo.
2. Deixar transparente a relação com os patrocinadores, sempre que a mesma exista.
3. Se nós ganhamos, vocês também ganham, é a regra da casa.

Então podemos concluir que existem meios de tornar um blog atraente tanto para o patrocinador quanto para o leitor, nesse quesito. É feio isso? É ruim você poder ganhar dinheiro com algo que é seu, que você levou tempos para tornar o que é hoje, se dedicou tanto para dar uma identidade?

Vamos a terceira citação importante do dia, pescada diretamente no blog da Carol:

Se alguém vier falar que é publieditorial eu vou mandar enfiar o argumento no cu. Não é publieditorial, é presente. Moralistas, hipócritas e fofoqueiros, morram de inveja, estou me deliciando com sorvete enquanto vocês reclamam. Manés.

É fato que existem pessoas que reclamam do formato adotado pelos blogs. Publieditorial (post pago) é uma categoria que em muitas vezes foge completamente do assunto do blog, salvo algumas excessões. Comunicar aos leitores sobre determinada ação publicitária poderia (e deveria) ser uma missão simples, lúdica e acompanhando a temática do blog. O Guilherme resolveu isso. A carol ainda não, aparentemente. 

O que sugiro após tudo isso? Agências e empresas, se querem entrar no mundo dos blogs, façam o que pra mim hoje tem mais lógica: contrate o blogueiro, não o blog. Existem campanhas que comunicam com eficiência o público dos blogs, e são campanhas válidas. Mas uma forma bacana, moderna e diferente de investir nesse nicho é trazer o blogueiro para dentro da sua casa. Crie o cargo de “blogueiro” e torne alguém que conhece a ferramenta o seu porta-voz oficial na internet. Até porque, quem trabalha com o que gosta trabalha melhor e possivelmente rende um pouco mais. Para as agências, vale a mesma regra. De repente, trazer o blogueiro para vestir literalmente a camisa da marca/produto pode ser mais rentável que um post pago no meio de outros 200, no google reader daquele leitor. Usar o carisma / sarcasmo / humor de um blogueiro a seu favor pode não ter preço, mas fazer com que ele vista a camisa da empresa com todas as letras pode ser favorável.

Quem sou eu? Sou apenas um blogueiro, que gosta e ve muito potencial na ferramenta blog, procurando um lugar ao sol. Na mesma situação que eu me encontro, existem muitos outros com potencial para melhorar a imagem de algum produto/marca internet afora. E encararia a oportunidade de tocar um blog corporativo e/ou similar como um tremendo desafio para meu intelecto. Vestir a camisa de alguém, por dinheiro, nos vemos todos os dias alguém fazendo. De repente, chegou a hora de um blogueiro ocupar essa metáfora.

E você, acha que isso pode dar certo com você também?

Related Posts with Thumbnails
Se gostou compartilhe!

Postagem feita no dia 3 de novembro de 2008 às 21:52 e arquivada na(s) categoria(s) Blogsfera, Publicidade. Você pode acompanhar os comentários usando RSS 2.0 .
Você pode deixar um comentário ou um trackback do seu site/blog.



Opa, ja temos 1 para “Repercutindo: “Eu sou uma prostituta, não faço por amor””

  1. Carol on novembro 4th, 2008 at 9:38

    Muito bom seu post! Realmente, o povo acha feio ganhar dinheiro, onde já se viu?

    Procura lá no meu blog um texto onde eu falo de publieditoriais: “Publieditorial, eu não sou contra, mas…”.

    Lá você vai ver os meus argumentos de como, se um dia alguém mais quiser anunciar naquela joça, será feito. Aliás, eu só fiz um publi esses tempos atrás porque eu tava precisando de grana MESMO… Hahahaha!

    Beijo ;)

Algo a dizer?

1. Diga o que quiser, você é totalmente responsável pelos seus comentários;
2. Não ofenda as pessoas, não use palavras de baixo calão;
3. Não seja desagradável;
4. Tenha em mente que o conteúdo desse blog é humorístico e/ou irreal;
5. Assim que sair, dê um sorriso;