Depois que começou uma discussão sobre ética editorial e posts pagos, parece que tudo tem tomado uma importância maior do que realmente tem. De um lado, blogueiros que ganham dinheiro entrando em campanhas, sendo pagos para se agregar a marcas e produtos diversos. De outro lado, consumidores dos blogs que acham ruim o fato de que pessoas fazem publicidade como se fossem opiniões pessoais. Eu não sou contra ganhar dinheiro em blogs, pelo contrário, eu tento de alguma forma partilhar do bolo (bolha?) que o filão oferece. Mas por outro lado, não sei se é uma atitude bacana vender sua opinião. Mas, como bom entendedor da coisa toda, acho que cada um pode/deve/sabe o que deve fazer de sua própria vida. Fica a certeza de que eu até faria um post pago na vida, se isso fosse de encontro aos meus gostos pessoais, por exemplo.

Nesse mar de acusações e #mimimi, surgiu um comentário completamente pertinente que merece nossa atenção. Veio diretamente do Sim, Viral e segue abaixo:

relevância da meritocracia informal da internet

Note o “…não tem relevância na meritocracia informal da internet…” no meio da frase. Gostaria agora que meus 90/120 leitores de feed analisassem isso com cuidado em uma reflexão que visa mostrar que se você não é lido, mesmo que esteja certo, você vai ser o errado da história. E note o uso dos termos certo/errado apenas como ilustrativos, já que como tudo é recente, as pessoas ainda não tiveram tempo de digerir tudo o que está acontecendo.A certeza que eu tenho é que não sou alguém com relevância na meritocracia informal da internet também, provavelmente, mas que certamente não é o tipo de qualidade (?) que vai fazer eu assistir de camarote e aplaudir algumas coisas que eu não concordo inteiramente. Afinal de contas, acho que direito a expressão eu ainda tenho, mesmo que pra meia duzia só né? 

E por favor, inveja é um argumento tão batido que eu sequer posso expressar algo contra o uso da palavra em qualquer discurso de blogueiro. Como todos nós sabemos, pra ter um blog com relevância na meritocracia informal da internet, basta pegarmos os atalhos já criados por quem veio antes. É fácil, é simples, é relativamente rápido e QUALQUER UM pode fazer. Ok?

Update: Blogueiros que acham que os blogs são / estão para se tornar mídia mesmo, não se abalem com possíveis brincadeiras de moleques, afinal de contas… bom, se formos listar as retaliações que outros canais de mídia sofrem, como exemplo das pichações contra a rede globo em são paulo, e eles aguentam firme e fortes, melhor vocês se prepararem pra embates. :)

Related Posts with Thumbnails
Se gostou compartilhe!

Postagem feita no dia 10 de janeiro de 2009 às 19:41 e arquivada na(s) categoria(s) Blogsfera. Você pode acompanhar os comentários usando RSS 2.0 .
Você pode deixar um comentário ou um trackback do seu site/blog.



5 Comentários ;) para “Relevância na meritocracia informal da internet!”

  1. Evandro F. on janeiro 10th, 2009 at 19:58

    tenho até pena desses caras deslumbrados demais rsrs.

  2. Marco on janeiro 11th, 2009 at 18:06

    Semana passada vi um filme que aborda o tema: O Virgem de 40 anos, com Steve Carell.

  3. Kaue on janeiro 11th, 2009 at 18:59

    Não gosto de tomar dores e nem de muito menos me meter, mas ou uma má interpretação sua, pelo menos foi o que vi.

    No site do Simviral o cardoso Disse isso em resposta a seguinte pergunta :

    será que essa dupla (twitter/blogs) tem alcance suficiente pra fazer um estrago de verdade para uma marca?

    E não se o gravatai está certo ou não, mas é óbvio que a truculência do comentário não procede.

  4. Rafael R on janeiro 11th, 2009 at 19:49

    Isso invalida a ação como um todo, já que se o estrago não pode ser percebido, as virtudes da campanha também não serão.

  5. 5 dicas fantásticas para você monetizar seu Twitter | O Crepúsculo - Textos, Crônicas, Contos, Opinião, Entretenimento, Variedades, Curiosidades, Música, Cinema, TV, Games on julho 5th, 2009 at 22:53

    […] Presumo que todos vocês já conheçam o Twitter. Afinal, depois de sair na Época, Fantástico e em outros buracos malignos da relevância da meritocracia formal da imprensa brasileira, não é possível que alguém ainda não conheça o site de relacionamentos que mais cresce no mundo (e também no Brasil). Se você não conhece não precisa ler este texto, vá ler um livro, jogar sinuca, cheirar gatinhos, pois ele é só para aqueles que tem relevância na meritocracia informal da internet. […]

Algo a dizer?

1. Diga o que quiser, você é totalmente responsável pelos seus comentários;
2. Não ofenda as pessoas, não use palavras de baixo calão;
3. Não seja desagradável;
4. Tenha em mente que o conteúdo desse blog é humorístico e/ou irreal;
5. Assim que sair, dê um sorriso;