Em meio a diversas confusões, baixarias, falhas e picuinhas, resolvo sair do lugar comum e dar opiniões sinceras e diversas sobre a edição 2009 da Campus Party, que termina oficialmente no domingo. Houveram tantas falhas e erros que eu nem sei por onde começar. E acredite, as pessoas lembram de eventos onde algo deu errado justamente por essas falhas, deixando de lado as coisas boas. Eu farei o inverso, citarei as coisas boas no final do post, apenas para que não pensem que estou malhando o evento com segundas intenções. Começaremos pelos primeiros erros. 

enjaulado?
Então, não fui preso por portar um litro de red label? Aparentemente não! | Crédito: Yassuda

A revolução dos Nerds, parte I

Aconteceu algo tão contraditório que é até difícil acreditar. Para dar um contexto bom pra história, pensemos no seguinte: o stand da Abril foi um dos mais visitados do evento, devido ao fato de algumas coelhinhas da playboy estarem a disposição das pessoas para eventuais fotos. São tantos cliques que eu acho que não preciso ilustrar isso. Aliás, fotos das coelhinhas são indispensáveis, melhor buscar uma das inúmeras no flickr.

coelhinhas #cparty
Coelhinhas… o “item” mais clicado da #cparty | Foto: Petit Mobile

Se ninguém achou ruim em momento algo o fato das coelhinhas estarem presentes ali, certamente não achariam ruim se elas estivessem no palco dançando uma música envolvente, certo? Como não havia mulheres no palco, os nerds acharam de bom tom expulsar um artista que estava se apresentando. Maiores detalhes sobre o fato, leiam no suspensa. Sei que foi uma atitude ridícula e eu não concordo de maneira alguma com isso, mas já passou. Isso sem falar na revolução dos nerds parte II, que pode ser lida na íntegra com filme no OMEDI

Segurança(s) na Campus Party = #Fail

Nem todo segurança é despreparado. Existem N eventos que eu já fui onde o pessoal fazia seu papel sem interferir negativamente na festa. Porém, esse definitivamente não foi o caso da Campus Party, onde os truculentos seguranças pareciam adivinhar apenas quem não era suspeito de nada e se impor sobre essas pessoas, enquanto as demais podiam circular livremente cometendo pequenos atos ilícitos, se é que podemos falar assim. Bebidas com alcool, que em teoria não eram permitidas, estavam dentro do evento unindo-se a cigarros acessos e outros excessos. Até ai tudo bem, nada demais. Porém, pessoas que conseguiam sair com notebooks alheios do evento sem qualquer tipo de revista é algo mais preocupante, sem dúvidas. O Jonnyken que o diga, depois de provar por A + B que qualquer um poderia fazer isso a qualquer instante. 

#cparty I love geeks
“I love Geeks”! E era GATA a moça da foto! | Crédito: Wendely Leal

Até poderia continuar no assunto segurança, mas eu sou obrigado a agradecer as falhas da segurança que deixaram nosso momento social um pouco mais divertido, como podemos ver em algumas fotos (como no post anterior) e relatos. Sem mais para o momento.

Programação Musical

Quem diabos escolheu os artistas para o palco principal? O que houve com as discotecagens que alguns aguardaram e foram canceladas? QUEM DIABOS ELABOROU A LISTA? Porque não fizeram uma porra de uma pesquisa para saber o gosto dos frequentadores? Que adianta pagar 100 reais e ser surpreendidos com nomes diferentes, bons e/ou ruins, mas sem sequer saber pelo que esperar? E por que, jovens, vocês acharam que Teatro Trágico poderia ficar numa boa e expulsaram um cara bacana do palco? Qual a lógica disso tudo?

Internet is for porn!
Internet is for porn!!! | Crédito: Leonardo

Música é algo que dificilmente vai agradar 4000 pessoas. Levamos em consideração e podemos dizer que na salada que a organização escolheu, a maioria dos nomes não agradou ninguém. Os que ficaram felizes com algumas escolhas, escrotizaram outras. É sabido que não agradaria todo mundo, mas isso eu prefiro nem opinar, deixo as perguntas acima pra vocês.

As pessoas – Ahhhh, as pessoas!

Ta ai algo que valeu a pena. Conhecer alguns daqueles que a gente não tem muita chance de encontrar na rua, tomar um red label com outros, gerar idéias para posts… tudo isso sempre vale a pena. A gente sabe que vai demorar pra poder sentar de novo num buteco e tomar mais cerveja, por isso que esses momentos são aproveitados da melhor maneira possível. Todo mundo que eu conversei na Campus Party demonstrou um pouco disso, apesar do eterno cansaço entre downloads e selvagens partidas de Counter Strike. Se tem algo que podemos dizer que se salvou na Campus Party, sem dúvidas foi isso. 

nerdson etílico
Para ler na íntegra, visite o Nerdson

Evidentemente, não são todas as pessoas que estão lá que valem a pena. Nerds que acham legal vaiar artistas e humilha-los, pedindo para que se retirem do palco, esses são a excessão. Aqueles que criam tumulto sem motivo, idem. Abusados que não sabem como tratar uma mulher, e jogam a culpa numa aposta imbecil, idem. Mas até esses tiveram seus espaços respeitados e que cada um colha o que plantou, é apenas o que desejo. 

Para fechar um dos maiores posts da história desse blog, agradeço aos suspeitos de plantão que fizeram da semana uma coisa mais divertida. As musas que fazem com que o streaming tenha picos de 200 pessoas assistindo, aos que vieram de longe e eu não pude dar tanta atenção por ser um pouco hiperativo e não conseguir ficar parado, aos que conheci que serão sempre bem vindos para uma cerveja e aos organizadores da Campus Party, que apesar de falharem em diversos aspectos, proporcionaram bons momentos para todos que estiveram presentes por lá. Ano que vem, eu to fora, mas outras oportunidades virão. E que todos conquistem muita relevância na meritocracia informal da internet, é o que todos nós, invejosos, desejamos bem no fundo de nossas almas. ;)

Related Posts with Thumbnails
Se gostou compartilhe!

Postagem feita no dia 24 de janeiro de 2009 às 23:30 e arquivada na(s) categoria(s) Blogsfera. Você pode acompanhar os comentários usando RSS 2.0 .
Você pode deixar um comentário ou um trackback do seu site/blog.



14 Comentários ;) para “O ano que a Campus Party Brasil acabou!”

  1. Kah on janeiro 24th, 2009 at 23:44

    hahahaha

    legal é q eu nao participei de nenhum dia de bebedeira ><

    mas blza.. me rendeu uma vodik quente
    =P

    hahahaha

    e, claro.. nos conhecemos pessoalmente.. nao somos mais apenas “amigos virtuais”..haha

    bjO bjO

  2. Leonardo R. on janeiro 25th, 2009 at 8:18

    cara, ano que vem vamos levar um frigobar para manter as bebidas geladinhas :P

  3. Eric on janeiro 25th, 2009 at 10:41

    Rafael R. é o unico blogueiro que conheço, que vai na Campus Party sem Notebook ou PC e ainda fica mais tempo conectado na internet que os outros… hauhauhauhauhauha

    Um dia eu também fico assim… :P

  4. Fernando Quirino on janeiro 25th, 2009 at 16:30

    Ele é tipo um chefe escoteiro de Cparty. Conhece as regras da selva e tem curso de sobrevivência em terrenos selvagens nerds hauhuahu

  5. Alê Ferreira on janeiro 25th, 2009 at 16:56

    Rafa,

    Tudo tem seu lado ruim, torceremos pra ano que vem seja animal, e não fica de fora, pq senão quem vai fazer caipirinha pra nóih bebe? hahahaha

    beijo
    Alê

  6. Rafael R on janeiro 25th, 2009 at 16:58

    *link certo » http://twurl.nl/haifg0

  7. wille on janeiro 26th, 2009 at 18:13

    não estive na campus party, mas acho que a presença do teatro mágico se justifica na medida em que é um exemplo de banda que se promoveu pela internet, além de fazer muito sucesso entre o público jovem.

  8. Rafael R on janeiro 26th, 2009 at 18:15

    Wille, muito antes de Teatro Mágico, o DeLeve já fazia isso, promovendo downloads de suas músicas e disponibilizando sobre CC suas produções. Justifica o fato dele ter sido expulso? ABS

  9. Mauricio on janeiro 26th, 2009 at 20:19

    Se todas as bandas e músicos que se promoveram na internet fossem à Campus Party, ela deveria chamar-se Campus Show.
    Uma coisa não justifica a outra e não é porque um grupo fez isso ou aquilo ele deve ir à Campus Party, assim como não se deve expulsar alguém daquele modo, principalmente querendo briga.
    Tb não gosto de diversos tipos de “musicas” que tocaram ali, mas nem por isso passei à agressão.
    O que ocorreu é que o pessoal já estava de saco tão cheio que alguém tinha que levar a culpa, e caiu sobre o rapper….

    A culpa toda é da organização que fez um dos piores eventos de que já participei.
    Quem foi à de 2008 como eu sabe a diferença. Sequer aguentei ficar até o fim.
    Mas é isso aí. Temos apenas que esperar pra ver se aprendem da próxima vez, ou é melhor nos preparar-mos para o pior…

  10. RaUL on janeiro 27th, 2009 at 1:24

    OLIA PRESTA ATENÇÃO QUE EU SO VOU DISER ISTO UMA VES GAROTO:

    BEM QUE FISERAM DE ESPULSAR O RAPPER DO PAUCO POIS HIP HOP EH MUSICA DE MALOQUEIRO E POBRE E ISSO NINGUEM QUE TEM BLOGUE EH

    CALE A BOUCA E PARA DE FALAR BOBEIRAS NA FOLHA DE SÃO PAULO QUE EH UM JORNAL LOUCO DE CONSEITUADO OKAY?

    OBRIGADA RaUL

  11. Rafael R on janeiro 27th, 2009 at 5:57

    Mauricio, você pegou o espírito da coisa.

  12. Campus Party 2009: considerações finais « Pensamenteando on janeiro 29th, 2009 at 16:24

    […] | Veja mais textos sobre o pior e o melhor da Campus Party 2009 _ The good, the bad and the ugly, por Nospheratt _ Balanço final, por Inagaki _ O ano em que a Campus Party Brasil acabou, por Rafael R […]

  13. Vinicius on janeiro 29th, 2009 at 17:08

    cara eu vi uma coisa nessa foto das coelhinhas que você postou que eu acho que muita gente não viu rs…..

  14. PRDL on maio 7th, 2009 at 17:49

    Coelinhas… Eu também vi!!! Ou será que quis ver demais que acabei vendo???

Algo a dizer?

1. Diga o que quiser, você é totalmente responsável pelos seus comentários;
2. Não ofenda as pessoas, não use palavras de baixo calão;
3. Não seja desagradável;
4. Tenha em mente que o conteúdo desse blog é humorístico e/ou irreal;
5. Assim que sair, dê um sorriso;