Gostosa de Bikini Brasil“Ao voltar de Santos, parando às margens do riacho Ipiranga, D. Pedro de Alcântara recebeu uma carta com ordens de seu pai, para que ele voltasse para Portugal, se submetendo ao rei e às Cortes. Vieram juntas duas cartas, uma de José Bonifácio, que aconselhava D. Pedro a romper com Portugal, e a outra da esposa, Maria Leopoldina, apoiando a decisão do ministro. D. Pedro I, impelido pelas circunstâncias, pronunciou as famosas palavras Independência ou Morte!, rompendo os laços de união política com Portugal, em 7 de Setembro de 1822. Ao chegar na capital, Rio de Janeiro, foi aclamado Imperador, com o título de D. Pedro I”. Wikipédia  [via Google Discovery]

A verdade é que hoje é domingo então o feriado nacional nem provocou tamanha comoção nas pessoas, ao menos não nas que moram perto da minha casa. Geralmente, num feriado típico, eu seria acordado por volta do meio-dia com algum dos vizinhos eufóricos e felizes ouvindo o mais puro forró nordestino de raiz num volume que sequer eu sabia que existia num rádio de carro. Isso se deve ao fato de que basicamente, diferente de uma imensa maioria de paulistanos que usa os feriados para trocar insultos e filas de sampa pelos insultos e filas no litoral, o pessoal da minha rua não tem tanto esse costume. Ao invés de degustar um franguinho com farofa nas areias da Praia Grande, é muito mais fácil juntar a família na laje e acender a churrasqueira, fazendo com que seja impossível ter uma visão de mais de 200 metros devido ao acúmulo de fumaça nos arredores da mesma. Mas isso merece um post a parte, qualquer hora dessas.

Hoje me veio a mente a seguinte divagação: porque diabos eu devo comemorar a independência do Brasil? Quais os motivos que me fazem lembrar da minha pátria com orgulho, o que exatamente eu posso mostrar a quem for de fora e dizer “Viu? No Brasil temos muito isso e nos orgulhamos bastante”, o que é do Brasil e nenhum lugar do mundo tem igual? Então tive uma idéia vaga, acompanhem meu raciocínio:

Gostosa torcendo pro Brasil

Futebol: Sempre fomos superiores aos demais países do planeta no quesito futebol. Isso até o momento que a brincadeira de colegas de rua usando havaianas para marcar os limites do gol virasse então um negócio de milhares milhões de dóllares. Hoje times da Arábia e região compram nossos craques e nos deixam sempre com a próxima geração, aquela que já esta sendo negociada para amanhã. A politicagem no esporte me enoja e é cada vez mais difícil evita-la. A mágica da brincadeira de infância virou um empreendimento com interesses e conflitos. Ao menos as meninas do Brasil são bronze ouro prata nas olimpíadas, né? É quase um consolo. 

Informática: Poucos sabem, mas até meados do ano 2003 o Brasil do underground, aquele dos usuários do NetBus e programinhas similares era destaque no mundo. Pequenos grupos se enfrentavam numa gingana sem fim para saber quem conseguia tirar mais sites do ar, trocando suas homes originais por pixações gratuitas e brincadeiras diversas. Não era incomum encontrar bastante bom humor. (Nota: infelizmente, os arquivos que eu queria mostrar, não consegui encontrar) Bem… eramos líderes, juntamente com israelenses e alguns outros. Hoje os Indianos nos dão um banho na brincadeira virtual e juntamente com chineses, russos e árabes, eles nos jogaram para o limbo do sub-mundo.

Mulheres: Sempre fomos conhecido por sermos um país acolhedor e com belas mulheres. Lembro quando o Ashley Hames veio com o seu Sin Cities pro Rio de Janeiro e se deu MUITO bem. A mesma cosia com o já famoso vídeo do carnaval onde Arnold Schwarzenegger também se da bem. Nossas belas mulheres já foram temas de músicas, inspiração para diversos artistas, fizeram da terra um lugar próximo ao paraíso. Porém, ultimamente, você sabe quem são os destaques nesse quesito. Ou quer mesmo que eu cite nomes? A verdade é que embora tenhamos potencial, a mídia parece querer mudar o padrão da coisa. O que não deixa de ser triste. 

Ao menos ainda somos imbatíveis em algumas coisas: corrupção, novelas, pizza, artes, criminalidade, counter strike (?), praias, florestas, funk carioca, desperdício, malandragem. Será?

Nota: Eu sei que tem coisas que ainda valem a pena no Brasil, hoje. E não sou tão pessimista quanto pareço, provavelmente. Mas nada melhor que não deixar o povo esquecer certas coisas, né? País da memória curta. Aliás, nisso também somos imbatíveis, ainda.  E as imagens que ilustram o post são praticamente uma atitude saudosista, lembrando que se fomos bem um dia em alguns quesitos, só depende de nós para voltarmos a ser em breve. E a lista até continuaria, se eu não tivesse de ressaca atualmente. Viva Brasil!

Related Posts with Thumbnails
Se gostou compartilhe!

Postagem feita no dia 7 de setembro de 2008 às 20:33 e arquivada na(s) categoria(s) CS, Hypes. Você pode acompanhar os comentários usando RSS 2.0 .
Você pode deixar um comentário ou um trackback do seu site/blog.



2 Comentários ;) para “Independência do Brasil: Viva o país da pizza!”

  1. BHY on setembro 8th, 2008 at 11:55

    É, comemorar o quê?
    ;-)

  2. Edson on setembro 8th, 2008 at 14:42

    Mudem para o Iraque então ou para o Haiti, com tornado então vocês viveriam no paraíso lá, aliás os iraquianos e haitinos, lutam por seus países, enquanto alguns brasileiros.

Algo a dizer?

1. Diga o que quiser, você é totalmente responsável pelos seus comentários;
2. Não ofenda as pessoas, não use palavras de baixo calão;
3. Não seja desagradável;
4. Tenha em mente que o conteúdo desse blog é humorístico e/ou irreal;
5. Assim que sair, dê um sorriso;