Goa Gil - Anjuna Full Moon Party

Se você já foi ou vai sempre em raves e similares, imagina o que é uma festa com mais de 12 horas de duração. Se já foi a alguma discoteca/balada/night, sabe o que é uma festa com cerca de 6 horas de duração. Qualquer churrasco que se preze tem no mínimo 3 horas de música rolando non-stop. Agora, imagine um DJ que toca um set que dure de 18 a 24 horas sem parar? Dá pra imaginar o que é um festival com alguém assim no comando dos toca-discos? Lhes introduzo Goa Gil, o pai da música eletrônica psicodélica.

Goa GilGilbet Levey (a.k.a Goa Gil) nasceu em Sâo Francisco, no estado da Califórnia, em 1951. Em setembro de 1969 partiu para uma jornada na Índia. Ele que sempre foi músico passou a aprender yoga com gurus no himalaya. E então um dia teve a idéia de juntar música e yoga em algo que soasse novo e marcante. Ele pretendia realizar a renovação de rituais tribais para o século 21 usando as festas como um meio de elevar sua consciência, onde os participantes sentissem a experiência de dançar o trance e entrar em sintonia consigo mesmos por alguns momentos. Nascia ali o que conhecemos hoje como Trance Psicodélico e suas experiências mudaram para sempre o rumo de muitos jovens que sequer conhecem sua existência ainda hoje.

Existem formas mais lúdicas de conhecer os feitos de Goa Gil. Uma delas, e certamente se você optar por ela vai me encontrar, é ir à apresentação dele aqui em Sampa, em novembro. Uma festa com 700 pessoas e ele no palco com toda certeza tem tudo pra ser histórica. No youtube mesmo, deve haver mais coisas dele. Como meu computador está com problema de memória, fico devendo dicas de vídeos dele aqui. Outro jeito é ver a entrevista dele, ao Psyte. De qualquer forma, se você é parte daqueles poucos que só não ouvem música eletrônica durante o dia inteiro se tiver ido a uma festa dias antes (e estiver naqueles 3 dias de “desintoxicação eletrônica”, como costumo chamar) você deve prestigiar e reconhecer que o pai do Goa Trance efetivamente mudou sua vida.

Update: Achei um vídeo que pode ser o princípio de sua pesquisa sobre o mestre. Veja ai e tire suas conclusões:

Desde os princípio dos tempos, os homens usam a dança e a música para se ligarem a natureza e ao universo.  Nós estamos usando o Trance para iniciar a reação de consciência… Durante a “experiencia trance” (dançando e ouvindo), esperamos que algumas pessoas comecem a ficar mais sensíveis e conscientes de si próprios e das consequências do caminhar da humanidade, assim como das necessidades do planeta… E daí que vem o entendimento próprio e a compaixão. Essa é a necessidade agora, é o verdadeito estado GOA da mente.” – Goa Gil

A frase acima faz sentido pra você? Pra mim faz. E creio que, depois da conversa de ontem, deve fazer também para o Mr. Neuman, que tem opiniões próximas das minhas sobre o assunto. Afinal de contas, de que adianta frequentar uma festa sem entender os conceitos principais, sem entender o que você deve procurar ali? Usar das frases “eu vou porque diversão pra mim é estar com meus amigos!” ou “todo mundo vai, eu não vou ficar de fora!” certamente não será inteligente em se tratando de festas como essa. Pegações e “curtições com a galera” podem ser efetivadas em outros locais, talvez em micaretas. E olha que você não precisa ser um entendido em estilos eletrônicos pra saber disso. Tampouco precisa conhecer tudo que envolva o conceito. Mas acho importante saber o que é aquela festa, para não cometer gafes. Nem sempre estar na moda é o jeito certo de atuar. O que quero aqui hoje é educar, não julgar. Então atente-se para o que conseguir retirar de informações daqui e menos com oposições pessoais sobre os fatos.

De repente, já seja um bom começo essa leitura. Saber de onde surgiu a vertente mais destacada do trance no Brasil (Sim, coleguinha, o Psy surgiu de uma variação do Goa Trance!) e entender o fenômeno. A educação (no sentido do conhecimento) é a chave pra muitas coisas, e você procurando saber mais pode ter um diferencial para muita coisa na sua vida. Tente, ao menos.

Related Posts with Thumbnails
Se gostou compartilhe!

Postagem feita no dia 5 de agosto de 2008 às 17:38 e arquivada na(s) categoria(s) Divagação, Publicidade, Som na caixa. Você pode acompanhar os comentários usando RSS 2.0 .
Você pode deixar um comentário ou um trackback do seu site/blog.



5 Comentários ;) para “Goa Gil – O percussor da música eletrônica psicodélica!”

  1. Eliel on agosto 11th, 2008 at 18:40

    Hehe, bacana o post. Para quem quiser complementar a “ficha” do mestre, também pode ler mais em http://www.psicodelia.org/djs/perfil-goa-gil/

    Um abraço!

  2. Tatiana on setembro 23rd, 2008 at 12:23

    Muito Boom o Post!
    Concordo com você, realmente, a maioria das pessoas
    vão a esse tipo de festaa só pra curti.
    Saai como entrou, sem nenhuma experiência que realmente tenha valido a pena!
    não conseguem ligar, Alma Corpo e Natureza;

    ;/
    Beeeeeijo ;*
    Booa Viibee Aee!!

  3. Flagra: Fotos de vacas na praia de top less e sem bikini // justplay.info on março 31st, 2009 at 21:56

    […] da Índia a tempos e que pode ter tomado uma maior visibilidade é o Goa Trance, com ícones como Goa Gil a frente de um dos movimentos mais frenéticos e dançantes de todos os tempos. Na Índia, muitos […]

  4. CODINOME V on abril 18th, 2009 at 14:32

    “Desde os princípio dos tempos, os homens usam a dança e a música para se ligarem a natureza e ao universo. Nós estamos usando o Trance para iniciar a reação de consciência… Durante a “experiencia trance” (dançando e ouvindo), esperamos que algumas pessoas comecem a ficar mais sensíveis e conscientes de si próprios e das consequências do caminhar da humanidade, assim como das necessidades do planeta…”
    FAZ ME RIR,falam e falam de consciência,que as pessoas devem ser mais sensíveis,interagindo com a natureza.shuahsuhuashuhaushua
    Tudo balela,que consciência e sensibilidade que aguentam pagar os preços absurdos de uma festa rave.Uma festa rave é igual um bando de hipócritas,pois além de defender a consciência e sensibilidade,defendem a natureza -ridículo- pois o próprio lugar onde são estas festas (sítios,chacaras etc) ficam destruídos após a festa e isso se chama interação com a natureza?
    Outro fato importante a ser lembrado é o P.L.U.R(PEACE,LOVE,UNION AND RESPECT) que infelizemente só fica no papel.Pois que respeito tem em uma festa que só pessoas de classe média alta podem pagar.
    OBS:OS QUE NÃO SÃO DE CLASSE MÉDIA ALTA JUNTAM DINHEIRO IGUAL BOBOS PARA IREM EM UMA FESTA DESSA.
    Enfim festa rave não carrega nada de bom,além de ser uma modinha,tem aquelas lindas deusas da ìndia e tal mais que não valem de nada,E VOCÊS IDIOTAS FICAM ENCHENDO OS COFRES DOS PRODUTORES DE FESTA RAVE QUE NA VERDADE SÓ ESTÃO ALIENANDO CADA VEZ MAIS A POPULAÇÃO E SE ALGUNS DE VOCÊS TIVEREM UM POUCO DE INTELIGÊNCIA VÃO CONCORDAR COMIGO QUE ELES SÓ PENSAM EM DINHEIRO.
    RAVE = MODINHA= PLAYBOY=PERRAPADO QUE QUER SE MOSTRAR=BABAQUICE

  5. educogu on agosto 15th, 2009 at 17:18

    Existem experiências que a maioria de nós hesita em falar a respeito porque elas não combinam com a realidade cotidiana………

Algo a dizer?

1. Diga o que quiser, você é totalmente responsável pelos seus comentários;
2. Não ofenda as pessoas, não use palavras de baixo calão;
3. Não seja desagradável;
4. Tenha em mente que o conteúdo desse blog é humorístico e/ou irreal;
5. Assim que sair, dê um sorriso;