Atendendo o chamado do Movimento Blog Voluntário, diversas pessoas estão postando hoje (irão postar amanhã e depois também!) pequenos manuais, dicas e tutoriais para aqueles menos afortunados que possuem pouco ou nenhum conhecimento sobre informática e internet. Impossível não participar de algo tão simples, bacana e com potencial assim. Afinal de contas, a gente pode ajudar um pouquinho aqui e outro pouquinho ali pra somar forças e tornar o mundo um pouco melhor, mesmo que seja difícil acreditar. É por isso que é justo pagar pra ver com ações assim, né?

Durante esse movimento eu vou estar aqui linkando o que encontrar de interessante e relevante com o que postei, numa forma de agradecimento a todos que participam do movimento. Ok, não tenho PR suficiente para isso ser considerado um “grande brinde”, mas acho que a proposta desses posts com certeza não vai ser essa, levar a sério e buscar resultados expressivos.

A quem for participar, obrigado. São de mais pessoas como nós que o mundo precisa. Boa leitura!

A Era Digital

A Era Digital chegou para ficar. Não se pode pensar numa vida sem os computadores e outros apetrechos deste fabuloso tempo. O mundo adotou a televisão digital. O celular virou carne de segunda, a maioria tem. Os jovens preferem se comunicar através de computadores, no calor de seus quartos, num cyber café ou lan house. A internet tem suas vantagens e desvantagens. Tanto pode ser uma ferramenta de mil e uma utilidades como uma poderosa arma voltada para o mal.

Você pode navegar nos sites culturais como nas páginas pornôs, sem restrição de idades. Serve para pagar suas contas, consultar seu banco, para seu trabalho, como também existem pessoas mal intencionadas que usam a internet para furtar. Um aliado terrível dos pedófilos. Bem, no nosso caso, a internet é para o bem.

Para tal existem algumas regras de conduta e cabe a cada um de nós segui-las.

Na internet convive grande número de usuários que se incorporam continuamente procedentes de todos os setores e níveis culturais, e de todas as condições sociais e vitais. Convivem o grande público, a última fronteira por onde a internet está crescendo agora, com outros usuários procedentes do mundo acadêmico e de grupos científicos, de onde primeiro se desenvolveu a rede. Ou com certas vanguardas artísticas, culturais e literárias, que depois se incorporaram.

Convivem por último com uma ampla gama de usuários mais ou menos avantajados procedentes de mundos diversos e que desenvolvem boa parte de sua atividade na internet: o comércio, os negócios, a educação, etc. Aos conflitos de comunicação que estes fatos comportam se acrescenta o que os novos usuários desconhecem os usos da rede e inclusive certos conceitualismos não estão formados suficientemente ou se tem desenvolvido de forma espontânea. E desta maneira chocam com as atitudes dos usuários já acostumados que encontram naturais certas práticas e usos incompreensíveis para os recém chegados. Esta situação requer a necessidade de um domínio de idéias e construções que integre, de sentido, forma, legitimidade e lógica, ao conjunto de usos, normas, regras, relações, conceitos e em geral as idéias que existem e se desenvolvem no mundo da comunicação interpessoal e grupal através das redes, da mesma forma como no mundo da comunicação não digital, ou mais propriamente no mundo da comunicação oral, escrita, virtual, etc.

Em outras palavras, existem certas regras que são seguidas por uso do bom senso geral e que definem a forma mais eficiente e correta para o uso das ferramentas da internet. A isso tudo chamamos de “Netiqueta” ou simplesmente Etiqueta na Internet.

Geralmente, as normas variam de acordo com o tipo de rede, tipo de serviço e nível de acesso, mas geralmente essas normas seguem regras gerais de bom senso, muito úteis para a convivência de milhões de usuários na rede. Embora não haja contato pessoal, hoje em dia, graças a webcam, além da voz, podemos trocar a imagem instantâneamente. Conversar via internet sai muito mais em conta que via telefone.

Correio eletrônico

O correio eletrônico ou e-mail facilitou a comunicação entre pessoas, empresas e afins de uma forma instantânea. Você precisa aprender a escrever corretamente a língua portuguesa para teclar, ou seja, mandar o seu e-mail. O texto deve ser direto e sem rodeios. Não será necessário ter um computador próprio para ter a sua caixa postal, onde virão as suas mensagens. Basta contratar um provedor (há provedores gratuitos) e uma senha de acesso. Com a senha, o usuário poderá abrir suas mensagens em qualquer computador, desde que ele esteja conectado a uma linha telefônica ou conexão via cable modem.

Além disso, existem algumas outras formas para se comunicar via internet. Para um iniciante, o importante saber nesse momento é quais as formas são mais fáceis para interagir e quais as regras básicas a seguir. Sobre isso trataremos daqui para frente. Na Internet, você pode escrever com letras maiúsculas e minúsculas, mas é preciso saber de algo antes: escrever com letras maiúsculas é o mesmo que gritar, na Internet! Para enfatizar frases e palavras use os recursos de sublinhar (colocando palavras ou frases entre sublinhados) e grifar. Seja claro e objetivo ao transmitir o seu pensamento. Escreva textos de leitura fácil. A maioria das pessoas na Internet vai conhecê-lo (a) somente através do que e de como você escrever, portanto, cuide da correção ortográfica e gramatical. Separe os parágrafos com linhas em branco. Considere abordar apenas um assunto por mensagem.

Quando estiver enviando um e-mail, tenha em mente algumas questões:

1 – Não escreva nada em uma mensagem de correio eletrônico que não deseje que caia nos olhares do mundo no segundo seguinte ao envio;

2 – Não mande correio eletrônico à toa, não faça marketing de olhos fechados, não encha de lixo os destinatários;

3 – Lembre que do outro lado está sempre alguém que está pagando para estar on-line, por isso não abuse do tempo (nem do bolso) do usuário;

4 – Ouça os seus usuários/clientes e responda sempre o mais rápido possível;

5 – Conserve o correio eletrônico interno à sua firma ou rede abaixo dos 50 por cento e o externo sempre acima dos outros 50 por cento;

6 – Evite o “calão” para entendidos, expresse sempre as suas idéias de modo claro, simples e com uma linguagem precisa;

7 – Dê em troca algo à Net. Não seja egoísta. Você também faz parte dela;

Blogs e sites pessoais

Antigamente a gente trancava o diário à sete chaves. Era algo íntimo. Hoje, com a internet todo mundo se escancarou, mostrou para quem quisesse ver a sua vida íntima e pessoal. Alguns blogs são bem feitos, e eles existem não somente no âmbito pessoal mas como também no profissional. Falam de publicidade, futebol, tecnologia, poesias. Existem blogs para todos os gostos e sobre todos os gêneros. Existem ainda uma categoria que cito como “pessoal”. São blogs passionais, onde as pessoas narram suas vidas, falam de suas coisas e seus sentimentos. Nessa última categoria, costumamos ter um sentimento esquisito ao visitar os blogs, pois ler sobre a vida de pessoas que sequer conhecemos e ver trechos narrados de suas vidas pode não fazer muito sentido. Claro que, evidentemente, sempre existe a chance de encontrarmos alguém que esteja passando pelos mesmos problemas que nós mesmos, por exemplo, ou por algum momento na vida com o qual temos simpatia. Em todos os casos, só descobriremos isso com uma visita e uma pequena leitura de alguns trechos dos textos dispostos, ficando totalmente a seu critério acompanhá-los ou não.

Fazer o seu blog é simples. Basta procurar na internet, existem diversos modelos já prontos. Basta escolher um e escrever alguma coisa que valha a pena. Serviços como o blogger e o wordpress são os mais conhecidos e valem a pena em ambos a experiência de testar para saber qual é o que melhor se adequa a sua vida.

Um exemplo claro e básico sobre um dos usos do blog é esse texto. Se você procurou no google algum termo e está lendo isso, certamente é porque o papel deste blog é exatamente isso, expor ao mundo minhas diversas opiniões sobre determinados assuntos. Nos links aqui ao lado, por exemplo, existem uma infinidade de outros blogs que recomendo a visita. Cada um deles tem uma visão pessoal e única sobre o que vemos em nossa volta, devidamente divida pelos gostos pessoais de quem os mantém. Certamente, se usar alguns desses como referência para a criação do seu próprio blog, você terá uma grande chance de se dar bem. Eles seguem as regras básicas de sobrevivência no mundo dos blogs e têm qualidade. Fique a vontade para clicar ao final dessa leitura.

Chat

Todo mundo gosta de travar novas amizades numa sala de bate-papo. Gente nova, gente velha, descarregam suas fantasias, sonhos e frustrações numa sala com pessoas desconhecidas. Aqui o feio se transforma no belo, o covarde num machão, o velho num garboso rapaz, a criança se passa por adulto; enfim, eles entram num mundo de faz de conta.

Cuidado! Também é um prato cheio para ação dos aproveitadores, principalmente os pedófilos. As esposas frustradas traem seus maridos virtualmente e maridos estão atrás de novidades. Em alguns casos, do virtual acontece os fatos na realidade, cheios de sentimentos de culpa. Todo mundo tem direito de sonhar, de viver um pouco a sua fantasia. Porém, é necessário não se viciar. É mais saudável manter um diálogo com a sua própria esposa, sair com a namorada para um jantar romântico, do que ficar horas e horas numa sala de bate-papo. Não se torne um solitário na multidão.

Seguem algumas dicas para você se dar bem no uso dos chats:
1. Evite enviar mensagens para muitos usuários ao mesmo tempo, e também evite enviar propaganda de qualquer tipo. O uso do bate-papo é, em geral, restrito a conversas pessoais.

2. Tenha em mente que nem sempre as pessoas que utilizam o bate-papo tem alguma noção de cultura ou educação, e que você pode se deparar com conteúdo ofensivo. Escolha salas de acordo com seus gostos pessoais.

3. Nunca use linguagem ofensiva, grosseira ou racista nem publique material calunioso, abusivo ou que invada a privacidade de alguém. A sala estará aberta a muitas pessoas e utilizar esse meio de forma ruim pode ser prejudicial, ou até constituir um crime.

4. Não é de bom tom divulgar informação sobre atividades ilegais nem incitar a crime. Isso poderia facilmente ser entendido como formação de quadrilha ou crime que equivalha, fazendo com que você possa ser indiciado por isso.

5. O provedor não se responsabilizará por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço. Portanto, tenha em mente que estará por sua conta e risco.

6. Lembre-se que, mesmo estando sozinho no seu quarto ou isolado numa lan house, você sempre tem companhia no outro lado da linha.

7. Muito cuidado com as palavras, porque o papo nunca é como se estivesse de cara a cara.

8. Não tecle palavras que você não digitaria se não estivesse emocionalmente alterado, ou frente a frente com a pessoa.

9. Seja comedido com o que diz para e sobre os outros; você não é a única pessoa que se comunica na Internet; mais alguns milhões de pessoas também o fazem. Portanto, pense bem antes de enviar mensagens com informações pessoais para newsgroups, listas de discussão ou mesmo para endereços particulares.

10. Certos comentários seus podem esconder um duplo sentido. Para compensar este estado de coisas, a rede desenvolveu símbolos denominados emotions ou smiles. São carinhas: alegres, tristes, sérias, bravas, etc. Use esta forma com moderação.

Miguxês: a linguagem da internet

O perigo é iminente. Nunca a juventude teve um aliado tão poderoso como a internet. Embora os jovens se comuniquem mais, a linguagem usada por eles é um verdadeiro assassinato ao nosso idioma. Uns acham que não. A verdade é que esta linguagem não ficou apenas na rede, está invadindo as nossas escolas. Onde já se viu uma redação cheia de blz (beleza), naum (não), tbem (também), etc. Trata-se da linguagem conhecida como internetês ou miguxês, que surgiu entre os usuários de chats de conversação, blogs (diários virtuais) e ICQ (programa de comunicação).

Os jovens talvez tenham preguiça ou escrevem abreviados porque têm medo de errar. Não tiveram um ensino adequado de português. Os jovens não lêem, não procuram ampliar seu vocabulário, erram na regência e na concordância das frases e das palavras; têm dificuldade de conectar idéias e de interpretar textos. Eles usam este tipo de linguagem como uma fuga. Não precisam se preocupar com a gramática e lingüística. Num mundo de genéricos seria uma linguagem alternativa.

Não é difícil entender esta linguagem alternativa. Você pode perfeitamente entrar numa sala de bate-papo e usar um português correto, enquanto o seu interlocutor se expressa por meio de sinais que mais parecem ter vindo da idade da pedra. Pode ser que ache você careta, no início, mas aos poucos quem vai se sentir mal é o seu interlocutor.

Algumas palavras usadas pelos internautas:

Vc – você
Tb – também
Blz – beleza
Naum – Não
Tc – teclar (conversar on line)

Related Posts with Thumbnails
Se gostou compartilhe!

Postagem feita no dia 25 de abril de 2008 às 14:08 e arquivada na(s) categoria(s) Divagação, Geral, Hypes. Você pode acompanhar os comentários usando RSS 2.0 .
Você pode deixar um comentário ou um trackback do seu site/blog.



2 Comentários ;) para “Dicas: Manual de etiqueta na internet!”

  1. LumaKimura.net on abril 25th, 2008 at 17:33

    Apoio ao Movimento Blog Voluntário…

    O que é
    Uma ação cujo objetivo é dar uma mexida na Internet e fazer o Dia Global do Voluntariado Jovem acontecer também no mundo on-line, com ações voltadas ao combate do analfabetismo digital. Participe, fazendo o que mais gosta: blogando. No…

  2. eagleman on junho 8th, 2008 at 10:55

    Meu carro(a):
    Obrigado pelas dicas. Também gosto de um bom português. Realmente, o que chamam de internetês, na realidade é a incapacidade de escrever bem o nosso português.
    As abreviações erradas entortam os nossos raciocínios.

Algo a dizer?

1. Diga o que quiser, você é totalmente responsável pelos seus comentários;
2. Não ofenda as pessoas, não use palavras de baixo calão;
3. Não seja desagradável;
4. Tenha em mente que o conteúdo desse blog é humorístico e/ou irreal;
5. Assim que sair, dê um sorriso;