Archive for julho, 2008

Banner do Senado Federal – Eu já tenho o meu!

Posted on julho 13th, 2008 by Rafael R

Senado Federal - Banner

Gosto do Cardoso. Ele aparenta ser um cara amargo, mas é gente boa. Até lembro as vezes o Anthony Bourdain[bb] quando to lendo algum de seus artigos. No mais recente deles, ele me deu uma idéia bacana. Bom, leiam o artigo dele que nesse instante já está bombando, se é que você já não leu.

As reações começaram a aparecer, bem como campanhas para que o Senado Federal anuncie em blogs também. Por ter meus contatos, já estou dispobilizando meu banner do senado federal desde já, ciente que terei minha fatia do bolo fecharei meu contrato em breve.

Brasília
Foto: Bom_de_ver, porque esse post precisava de algo belo pra contrastar!

Senhor(es) Senador(es), obrigado pela chance! É por essas e outras que me orgulho e MUITO da política no Brasil! E creio que ainda seja tempo de dizer que não conheço o Políbio Braga, né?

Abaixo, segue o banner que, se for negociado nos mesmo moldes do site paraiba.com.br, me renderá ao menos 40 mil reais/mês durante no mínimo 1 ano. Obrigado, Brasil!

Update: Baseado na tabela do gênio Yassuda (confira os detalhes aqui), informo que, para efeitos gerais, o valor do meu contrato com o senado deve ser mantido com os números acima dispostos. Para eventuais novos anunciantes, seguir na íntegra os preços anunciados lá para esse espaço também.

Grato.

Post 100 – Um post sem nomes!

Posted on julho 10th, 2008 by Rafael R

Esse é o post de número 100 desse blog. Um número singelo perto da experiência que ganhei nesses tempos de justplay.info e pra comemorar, fica a dúvida no ar: O que será que vem por ai?

Aguarde!

Só posso adiantar que é um projeto que eu to gostando de me envolver e que tem tudo pra dar certo. Em breve! E que venham muitos mais posts, que mesmo que poucos em relação a outros blogs, traduzem ultimamente o que venho descobrindo sobre conteúdo original e opiniões pessoais. Ao menos NESSE blog NESSE momento, o caminho a seguir definitivamente é esse! :)

Lively – O “Second Life” do Google!

Posted on julho 9th, 2008 by Rafael R

Vamos testar a parada aqui por alguns instantes e ver se funciona ou não. Peguei a dica no Comunicadores.

Lively - Google

Basicamente, partem da mesma premissa que o Second Life, criando um mundinho virtual. O interessante é a capacidade de interação, já que basta apenas fazer o download de um plugin pra começar a brincadeira. Eu criei uma sala pra testar, vou deixar ela na ativa por alguns dias. Existem opções de customização da sala e do avatar, mas como vocês podem ver eu AINDA não descobri como fas/, mas em breve eu chego lá.

A possibilidade de colocar ela em qualquer página deve ser incrível. Como eu to com preguiça de fazer um hackzinho qualquer, eu tentei colocar ela direto aqui no post. Sem sucesso. Assim que eu brincar o suficiente e entender a mecânica da parada, eu atualizo esse post aqui.

Update: Procurando salas novas pra descontrair, já achei a sala do #nob. Infelizmente, não vi a parte “beer” do Nerds On Beer, mas continuarei procurando!


Visita a sala #nob aqui, Criada pelo Renan

Update 2: O grande BigDigo fez até um videozinho pra ajudar a divulgar, da uma olhada ai:

Update 3: Fazendo testes na sala do #Nob, a gente conseguiu até por um videozinho do youtube na tela de LCD ali, mas fica MUITO pequeno e mal da pra ver. E também demora muito pra carregar.

.
.
.
.

Conclusão parcial: Ainda é Beta, tem muito pra ser desenvolvido baseado no feedback da galera que for conhecendo, mas tem potencial. A filosofia google no empreendimento será um diferencial beeem interessante, e não duvido que em breve você consiga inclusive monetizar sua própria sala la. É tudo bastante intuitivo e se você for um curioso/a (fuçador/a) vai pegar rapidinho os macetes. Apesar de uma lista de obejtos que você pode gratuitamente incluir na sua sala, não vi nada sobre a criação de novos, e sentimos falta disso justamente quando pensamos na cerveja para a sala do #nob. Eu particularmente perdi o interesse rápido na brincadeira, pode ser o efeito “second life” para quem já conhecia a brincadeira. Mas o potencial é infinito, uma vez que geralmente os empreendimentos do google são sempre bastante interessantes e confiáveis. E a criatividade vai reinar nos primeiros tempos do Lively, já que tudo que é novo só pega quando alguém de alguma forma consegue chamar a atenção positivamente pra coisa. Vamos esperar agora!

Blog de aluguel: quem quer uma opinião “comprada”?

Posted on julho 5th, 2008 by Rafael R

ImageShackAntes de qualquer coisa, preciso dizer: cada pessoa tem o direito de expor suas idéias, sejam elas quais forem, a qualquer momento. Liberdade de expressão, né? Assim sendo, cada um tem o direito de dar continuidade ao seu blog pessoal da forma que achar melhor. Porque raios eu iria tentar convencer alguém a mudar sua rotina, impondo o que EU PESSOALMENTE acho certo para fazê-la tocar seu blog com a minha forma de pensar? Missão impossível. Então cada um que tem seu próprio blog tem o livre arbítrio para prosseguir da forma que acha certo. É justo, mesmo eu não concordando.

Impossível generalizar algo sem cometer equívocos. É o que penso sobre o assunto, e se não ficou claro pra você, eu somo isso: se o blog A vende sua opinião, o blog B pode não vender. Credibilidade é algo que se conquista. E certamente se for opiniões sinceras o que você procura, melhor tomar cuidado com certo número de blogs. Particularmente, os envolvidos na coisa toda são aqueles impossíveis de se comprar a opinião. Destaco 2 dos amigos: brainstorm #9 e Sim, viral. Se você acreditava poder comprar a opinião de ambos, melhor procurar os blogs da lista A acima citada. Definitivamente, não é o caso. Ou talvez seja, um dia, mas vai precisar de bem mais do que um press kit singelo e criativo. Talvez um belo cheque preenchido com um número elevado de zeros a direita. E mesmo assim, a opinião MESMO talvez seja impossível comprar.

Voltando a credibilidade, se alguém acha que depois de um tempo procurando um nicho, depois de um tempo para se tornar referência, depois de algum tempo quando as pessoas te reconhecem como íntegro, se você quiser se vender mesmo, você pode. Mas definitivamente, não creio que seja o caso dos citados nisso tudo. Felizmente. :)

Ps: Só por curiosidade, os 9 que receberam a geladeira foram Alexandre Inagaki, Baunilha, Caio Novaes, Carlos Merigo, Guilherme Cury, Ian Black, Luiz Jerônimo, Nick Ellis e o Rafael Ziggy.

“Belos momentos” ou como vender uma história fraca!

Posted on julho 4th, 2008 by Rafael R

Algum tempo atrás, eu estava indo até o aeroporto para me despedir de uma amigona que estava indo pra Austrália. Como eu tava sem carro[bb] no dia, eu fui com uma amiga dela para lá. Chamaremos a amiga de Camila*, daqui pra frente. Meio sem jeito, aquele negócio de estarmos todos meio emotivos com a partida, eu fiquei em silêncio. A Camila, percebendo o climinha que estava se formando, resolveu quebrar o gelo.

– E ai, Rafael, né? Vamos por uma músiquinha pra ver se ajuda.
– Isso, Rafael. Vamos sim, que tipo de música se gosta?
– Então, comprei ontem esse cd do Dream Theater[bb], não sei se você gosta ou conhece.

– Não conheço, mas vamos a ele!

* Nota: O Cd em questão era o “Metropolis Pt. 2: Scenes from a Memory[bb]“, basicamente um cd que você deve ouvir de uma vez só, pois as músicas se complementam. Onde acaba uma, começa a outra. Recomendo apenas para quem queira conhecer e se inteirar do som, eu particularmente gostei.

Em instantes, não sei explicar como ou porque, eu tava imaginando milhares de coisas. O som ao invés de aproximar a conversa, só me deixou mais distante. Uma música rápida e na sequência uma lenta da mesma banda é algo que tem um poder sobre a mente incrível. A viagem para o aeroporto aos poucos tinha sido apagada da mente, assim como a motivação de irmos até lá. Uma atitude zen tomou meu corpo, até após 4 ou 5 músicas ser interrompido pela voz doce daquela linda menina que me mostrou algo novo:

– E ai, ta gostando?

Enfim, seguimos o caminho e fomos parar no aeroporto. A despedida foi triste, mas como a partida era motivada por dias melhores, a gente no fundo ficou feliz. Toda pessoa que eu vejo deixando o Brasil para tentar uma vida melhor em qualquer outro lugar sempre terá o meu apoio. Opiniões políticas a parte, depois do ocorrido até rolou um algo mais com a amiga, história que talvez eu conte aqui qualquer dia desses.

O fato é: um link enviado pelo MSN, durante essa noite, me levou de volta aquele momento. A diferença, basicamente, foi que ao ver o vídeo eu não fechei os olhos com a cabeça em direção ao lado de fora do carro. Espero que vocês entendam o poder da música Through Her Eyes com o vídeo abaixo.

Que tal?