Archive for novembro, 2007

Luis Fabiano, o nome do jogo

Posted on novembro 22nd, 2007 by Rafael R


Foto: GloboEsporte.com

Com dois gols de Luis Fabiano, Brasil vence Uruguai no morumbi.

Luis Fabiano Clemente, ou simplesmente Luis Fabiano, foi o grande destaque do jogo contra o Uruguai, nesse jogo válido pelas eliminatórias da Copa do Mundo. A principio, entrou na vaga deixada por Wagner Love.
Em terras paulistas, já conhecidas por outros boleiros pela pressão forte da torcida, e saiu como o herói da virada no término da partida. Muitos dirão que foi um daqueles jogos, que o “Brasil ganhou mas não convenceu”, mas uma coisa é certa: serão 7 meses até os próximos jogos pelas eliminatórias e a paz reinará (provavelmente) nos arredores da Granja Comary, sede da seleção Brasileira.

Pior que a vitória magra, somente as gafes do Galvão Bueno durante a narração. Não tem nada pior que ter que “engolir” a narração fraca, com comentários deverás desnecessários e cheios de falsa-argumentação. Piadas se fazem desnecessárias, mas se tiver pique ainda de rir de vosso narrador-mor, recomendo esse artigo da desciclopedia: Galvão Bueno.

Robinho, novamente, foi substituido no meio do jogo e saiu com cara de bocó. É o preço por tentar fazer bonito e falhar terrivelmente. Kaká, que provavelmente é mesmo o melhor jogador do mundo, também não desempenhou tanto assim seu futebol-arte. No mais, o destaque fica pra torcida que a certo momento gritou “Dunga, vai pro caralho. Queremos mesmo o Muricy Ramalho“. Os demais lances e nomes eu passo e/ou deixo pra sites esportivos, nada do que eu vi durante o jogo me chamou muito a atenção pra merecer um comentário aqui. Tirando, claro, que o Felipe do Corinthians inspirou fortemente o goleiro Julio César, que apesar de tudo, foi bem hoje e até defendeu bolas importantes.

Pra encerrar, a músiquinha da seleção que já não embala a nossa geração, mas insistem em tocá-la (principalmente na Rede Globo) quando falam com saudosismo das conquistas do Brasil no futebol:

Noventa milhões em ação
Pra frente Brasil
Do meu coração
Todos juntos vamos
Pra frente Brasil
Salve a seleção
De repente é aquela corrente pra frente
Parece que todo Brasil deu a mão
Todos ligados na mesma emoção
Tudo é um só coração
Todos juntos vamos
Pra frente Brasil, Brasil
Salve a seleção…


Letra de “Pra Frente Brasil”, de Miguel Gustavo, hino oficial da seleção na Copa do Mundo.

Aproveite pra comentar o jogo aqui, se achar algum fato que mereça citação. ;)

Padilha, diretor do BOPE, e seu novo projeto

Posted on novembro 15th, 2007 by Rafael R

O diretor do filme BOPE – Tropa de Elite, José Padilha, já tem seus próximos projetos em andamento. Na sua produtora, a Zazen Produções, que é a sociedade dele com Marcos Prado, já está em movimentação a primeira etapa, a captação de recursos para o novo projeto, um segundo longa de ficção que também vai levantar um tema polêmico. Com o título provisório de Posto 9, e com uma inversão de cargos (Padilha irá produzir e Prado irá dirigir), o filme será um mergulho na juventude brasileira ligada a música eletrônica e as drogas sintéticas.

De início, a história mostrará a vida de dois jovens da classe média, moradores do Rio de Janeiro, que em determinado momento se envolvem com o tráfico internacional de drogas. Como pano de fundo, serão mostradas as festas rave onde o consumo de drogas se mostra intensificado, parte da ficção que tem até algum ponto uma ligação com a realidade. Ao final da história, será mostrado que existe sim uma luz no final do túnel, “e que os jovens deverão tornar as relações de trabalho e relacionamento mais verdadeiras e menos hipócritas”.

A história do filme começa a se espalhar, e eu pude conferir a revolta dos frequentadores das raves em algumas comunidades do orkut. Eu tomei conhecimento do projeto na comunidade do Padilha, e lá já começaram algumas retaliações. Mensagens como a da LeLezinha, com o já manjado texto do filme “HEHEHEHEHE SEU CARECAA!!!!!……PEDE PA SAI PEDE PA SAII!!!!” ilustram o tom miguxo das reclamações. Entre outras piores, que eu tive que me esforçar bastante pra entender. A máxima aplicada pelos frequentadores de raves, no entanto, é demonstrar que não é a droga a única motivação de um jovem para ir numa dessas festas, mas as palavras mal escolhidas e o tom dramático usado ajuda pouco na defesa dos frequentadores comuns.

Em seguida, eu parti para a comunidade Raves, uma das maiores do orkut sobre o tema. La eu contei inúmeros tópicos falando sobre o assunto, sobre a repercussão negativa das festas na mídia, mas um tópico em especial me chamou mais a atenção. Com o título “Esse cara vai acabar com As Raves” (embora eu não tenha entendido os maiúsculos ali), a discussão come solta. Mensagens como a do Renato, dizendo assim: “Se alguém comprar ese filme, que seja pirata pra não dar um puto de lucro pra esse FDP” aumentam a impressão de que os primeiros que correm em defesa das raves, na teoria de que o filme vai realmente queimar o filme das festas, são mesmo aqueles com maior dificuldade de se expressar bem. Eu já me dei ao trabalho de tirar os print screens, caso alguma das mensagens simplesmente suma do orkut. ;)

Enfim, é um projeto novo que já vem dando o que falar. A comunidade dos frequentadores de raves já está antenada nisso e mostrando que está a fim de uma repercussão sobre o tema, e que ao menos passe o lado positivo das raves. Como é um longa metragem de FICÇÃO, é possível que em nome do drama sejam alterados fatos e interesses, portanto não sei quanto certo essa briga deles com a produtora do Padilha pode resultar em algo. Mas que esse vai ser o debate dos próximos dias, isso vai. E que a coisa vai longe na discussão, também já é claro, ao menos pra mim. Mas se as pessoas que se levantarem para questionar os porques do filme não melhorarem a forma com a qual se expressam, dificilmente vão se fazer entender. :P

Fortalecendo sua opinião com um link

Posted on novembro 14th, 2007 by Rafael R

É um assunto batido. Mas de extrema importância e que, de certa forma, sempre estará em pauta, em algum lugar.
Antigamente, eu tinha um blog pouco popular. Não me importava muito, era no melhor esquema “para os amigos” mesmo, só colocava fotos de festas que eu ia e pequenas opiniões pessoais. Nunca me importei, nessa primeira fase, em ser muito conhecido e/ou divulgado aos quatro cantos. E realmente, dá para ser feliz assim. Tudo depende apenas de sua aspiração, de suas metas e planos, o que te faz continuar postando diariamente no seu blog.

Nessa época, a importância de um link para mim era pequena, mas nem por isso eu negava o negava. Se eu falasse que, por exemplo, tinha ido em uma festa na casa de um amigo meu, o dhemes (Nome diferente, né? Com o tempo você acostuma!), eu automáticamente o linkava. Era um ato simples, nunca doeu abrir uma tag <a href> na digitação. Concordo com quem pensar que “Eram outros tempos, pré-PR e outros”, mas serve para ilustrar o primeiro ponto do que direi: eu aprendi assim. Muitos aprenderam assim, também. Viu quando, por exemplo, eu citei meu blog antigo? Ele ta com um link #, que em HTML quer dizer algo como”Sem destino“. Serve para quando você finge linkar, mas não linka. Ou para quando você quer ilustrar que um <a href> a mais no texto não dói.

Enfim, durante essa semana, eu visitei o blog Verdade Absoluta, que coincidentemente estava falando sobre algo parecido. Um grande portal da internet está anunciando em blogs. Na hora, achei até certo ponto irrelevante, mas fiquei com aquilo na mente. Durante a tarde de ontem, eu vi no meu próprio blog um anúncio do dito portal. Na hora, lembrei que tinha lido sobre, e só hoje eu achei o texto do Melo. Claro que, automaticamente, lembrei do Rei dos Links e de toda a campanha do Usura Não!, organizada/agilizada pelo Treta. Como são dois assuntos com particularidades, vou separá-los para falar as duas resoluções que tive em mente:

1. Não sou adepto do “Se eu faço e to certo, você DEVE fazer também!“, porque acredito que cada um tem o direito de ter sua própria política editorial. Mas é sábido que blogs meio que PRECISAM desse tipo de jogada, você estará reforçando sua opinião mostrando ao seu leitor qual a sua fonte, quem você lê, o que você acha bacana. Posts como esse reforçam essa tese. Embora não ache justo forçar ninguém a tomar determinada atitude, eu sigo o recomendado sem hesitar. Eu aprendi assim. E em tempos de page rank, nunca é demais receber um link de alguém com visitação maior que a sua. Questão de sobrevivência, quase.

2. A publicidade do portal, que tem um quê de oportunista, me parece válida. Porém, por uma única atitude, eu decidi bloquear esse anúncio no meu adsense, para que ele não seja mais exibido aqui. Durante a exposição de suas posição, o Melo citou um epsódio onde o portal teve a CAPACIDADE de colocar o endereço, mas não o link. Isso para mim num tem preço, um endereço numa página da internet sem um link é algo que não tem um porque de ser.

No meu caso, eu sempre prefito evitar o confronto. Acho válido um mundo em paz, com pequenas atitudes assim, mesmo que seja um sonho utópico. Mas existem alguns casos que, se a gente não tomar uma atitude, passa a ser deixado de lado nas rodadas de chopp e coisas afins, além claro, do principal que é mostrar a quem te visita que sim, você tem uma opinião e que sim, por coincidência, ela bate com alguns outros editores de blogs por ai. É questão de escolher o seu lado, tendo um porque. E quando já tem gente organizando algo, fica mais fácil mostrar as opiniões e informar como um todo, né?

Chip Foose, no X-treme Motorsports

Posted on novembro 13th, 2007 by Rafael R

Entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro de 2007 acontece a edição 2007 da X-treme Motorsports no Centro de Exposições Imigrantes. O evento, que existe desde junho de 2004, vem se firmando como um dos maiores eventos do setor automotivo do Brasil, junto ao Salão Internacional do Automóvel. No seu segmento específico, já está firmado como o maior evento nacional de customização de carros. Em 4 dias, são gerados R$ 10.000.000,00 em negócios, e isso mostra que realmente é uma feira importante para o setor.

Assim como a última edição, nesse ano a presença já confirmada de Chip Foose mostra a força do evento e o prestígio das empresas participantes desse evento. A Foose Design, empresa de Chip, é apontada como uma das principais do mundo das customizações de veículos. As criações do astro podem ser vista na TV a cabo, em programas como o Rides e o Overhaulin’ onde podemos ver apenas parte do potencial criativo das equipes. Para brasileiros apaixonados por carros, do jeito que somos, é um prato cheio.

Fica a seguir uma pequena amostra, fotos de carros feitos por Chip Foose. São apenas alguns carros envenenados, com rodas esportivas e detalhes que fazem quem olha com atenção perceber que tudo tem um motivo, nada está lá por acaso.

 

69 Camaro
69 Camaro

Challnger
Challenger

Foose Chopper
Foose Chopper

Foose 56 Pickup
Foose 56 Pickup

Stallion
Stallion

Cadillac XLR
Cadillac XLR

Flavia Alessandra, o novo hype

Posted on novembro 11th, 2007 by Rafael R

Nesse final de semana, a atriz Flávia Alessandra deu um jeitinho usado por muitas celebridades para aparecer nas notícias sobre celebridades. Na festa de Reinaldo Gianecchini foi flagrada por um fotógrafo sem calcinha. Na descrição da foto, aparece o seguinte: Flávia Alessandra devia estar com calor, pois foi bem “refrescante” à festa.

Já é uma cena comum, nas manchetes de veículos que tratam de celebridades: ir a uma festa sem calcinha, com vestido transparente ou coisa que o valha garante ao menos uma chamada, principalmente nos portais Uol, Terra, IG e Ego. Assim como outras antes dela fizeram, como Britney Spears, Lindsay Lohan, e muitas outras fazem o tempo todo.
As vezes até me questiono: até onde vai o bom senso de alguma pessoa no intuito de aparecer? Vendo as inscrições das pessoas no 8p para o BBB (que não é o Best Blogs Brazil), a gente vê cenas que parecem forjadas. Eu tinha/tenho um login que usava apenas para enturmar com novas pessoas e postar fotos particulares e vi quando o site foi INVADIDO por caçadores de fama de todo o tipo, todo o jeito e em comum apenas a vontade de aparecer. Desde quando aparecer na mídia gratuitamente se tornou bom? Quer ter uma prova do que é o mundo louco de quem se aventura a ser um dos próximos enjaludados na casa do Big Brother? Vou deixar só uma listinha, pra quem quiser conferir (nota: o nick da pessoa é de escolha dela mesmo, não cabendo a mim alterar isso), dos 5 mais bem pontuados pelos internautas para serem as próximas celebridades por alguns dias:

* Mulherão;
* Estiloso;
* Nath Nova;
* Ander o Antoninense;
* Mony Bahia;

Pense em gente que invadiu o 8p, um lugar antes pacato e calmo, onde apenas poucos e bons amigos se conheciam, e não respeitam regras de grupos (nota: em alguns dos casos, deve ser pelo fato de realmente não saberem ler, pois lá tem mais pérolas do que o Orkut, as vezes) e que estão, pra ser bem sincero, zoneando o que antes era um ecossistema habitável.

Dai eu me pergunto: será que para aparecer em algum grande portal, é necessário MESMO se submeter a ir a uma festa sem calcinha, deixando notar-se, ou então se expor de formas pouco convencionais, como os amigos do big brother brasil, ou ainda vale mais a pena ser como o Alexandre Inagaki e Edney, do Interney Blogs, que puramente demonstram apenas conteudo, sem apelações, e que também contam com uma pontinha na home do IG?
Pensando bem, é melhor eu passar essa. Ser celebridade nunca foi uma das minhas metas mesmo.

E pra quebrar um pouco o monte de palavras, que os desavisados e aspirantes a celebridades chamam de “Não li, mas me add”, vai a foto da musa Flávia Alessandra, com a devida tarja, gentilmente retirada do UOL, da AdNews: